E-mail Rss Youtube Linkedin Facebook Twitter

SIGA O TRIBUNA »

|

ASSINE

|

Conheça o Tribuna do Direito


A história de um sonho | O Jornal | Quem faz o TD

Fevereiro de 1993. Imvel da Avenida Moaci, 2.053, Planalto Paulista, So Paulo, Capital. Reunidos Milton Rondas, ento editor de Justia do jornal O Estado de S.Paulo, Mauro Mello, recm-sado do prprio O Estado de S.Paulo, e Moacyr Castanho, cunhado de Milton e profissional da rea de Marketing. Assunto principal: criao de um jornal jurdico. Milton, com a experincia da editoria do Estado, estava ansioso para poder participar de um rgo de imprensa, mesmo menor, que no o engessasse tanto. Decidiu pela criao, inicialmente, de uma editora jurdica, que seria responsvel pela publicao do jornal. Escolheu-se o nome : MMM (iniciais de Milton, Mauro e Moacyr) Editora Jurdica Ltda.. Sabiam apenas que teriam de fazer um novo jornal, talvez com 20 pginas iniciais. O nome (Tribuna do Direito) foi sugesto de Rubens Approbato Machado, ex-presidente da seo de So Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil e, com quem, Milton costumava trocar figurinhas.

O projeto grfico foi encomendado ao artista plstico e ilustrador Jlio Minervino, ento tambm no Estado e amigo de Milton e de Mauro. O primeiro boneco (formato do jornal) foi feito por Fred Sartori, amigo de Milton e da esposa, Mary Ann. Com o boneco em mos, Milton comeou a acionar os amigos da poca do Estado visando obter anncios que viabilizassem a ideia. No demorou para ser produzido o primeiro nmero, totalmente custeado pelos anunciantes. Novo problema: como distribuir o jornal. A Associao dos Advogados de So Paulo (AASP), ento comandada por Clito Fornaciari Jnior, decidiu que o enviaria aos 12 mil associados; a Associao Paulista do Ministrio Pblico, mais 1.200 exemplares para promotores e procuradores de Justia; e a Associao Paulista de Magistrados, a 1.200 desembargadores e juzes. O jornal j poderia ser publicado com, no mnimo, 14.400 exemplares. Mas ainda era pouco. Mary Ann, esposa de Milton, que acompanhou o projeto desde o comeou, criou um banco de dados (ainda no sistema DBase) para distribuir o jornal para outras associaes de classe, personalidades ligadas ao Direito, rgos pblicos e faculdades.

A primeira sede da editora foi em um quarto nos fundos da casa de Moacyr Castanho (tambm na prpria Avenida Moaci), onde um velho fax se incumbia de receber artigos, colaboraes e anncios. Os jornais produzidos ficavam na garagem de Milton. A casa virou uma linha de montagem do jornal: ali ele era dobrado, etiquetado, separado para ser enviado aos diversos destinatrios.

Logo a editora estava em instalaes prprias (no trreo de um amplo sobrado na Rua Baslio da Cunha), e j tinha novos colaboradores e havia incorporado novos suplementos.

Em 1998, modernizou seus equipamentos, com a aquisio de computadores e contratou pessoal especializado, com a editora passando a ficar responsvel pela editorao eletrnica do jornal. Foi alugada uma nova casa, desta vez na Avenida dos Imars, no Planalto Paulista, de onde sairia para a atual sede, na Rua Marac, 669, Vila Guarani. De 1993 a 2001, o jornal foi publicado em preto e branco; em 2001, comeou a ganhar cores; em agosto de 2002, passou a ter cores em toda as pginas. Hoje, o jornal tem circulao de 50 mil exemplares em formato tablide, impresso na Folha Grfica, e o nico a publicar, regularmente, a ntegra do Exame de Ordem. Publica, ainda, mensalmente, um Caderno de Livros, com oito pginas, e um de Jurisprudncia, com quatro.

Compartilhe este conteúdo:

Twitter Facebook E-mail